21 setembro 2006

Camelot 3000

Argumento: Mike W. Barr
Desenho: Brian Bolland

Para inaugurar a minha participação neste blog, decidi fazer um breve review de um dos maiores clássicos da nona arte americana. Um clássico que ajudou a redefinir a banda desenhada adulta tal como ela é actualmente, e que estabeleceu directrizes pelos quais inúmeros autores se basearam na criação das suas obras. Foi uma das primeiras obras criadas para o mercado directo (quem não souber o que é pode encontrar mais informações aqui) e foi a 2ª "maxi-série" da editora (na altura era um conceito novo). Publicada originalmente em 12 números, teve arte de Brian Bolland (que juntamente com Alan Moore ajudou a redefinir o Batman na obra "A Piada Mortal") e argumento de Mike W. Barr.

Breve resumo: Esta obra passa-se no futuro, mais precisamente no ano 3000 depois de Cristo, em que uma invasão alienígena provocou o ressurgimento da maior figura da mitologia britânica, o mítico King Arthur Pendragon, rei da Bretanha e senhor do Império Romano. Esta história baseou-se numa lenda britânica que diz que o Rei Arthur regressaria quando o seu povo mais precisasse. Acordado do seu sono milenar por Tom Prentice, que fugia de alienigenas que procuravam assassina-lo, resgatou Merlin que estava preso nas ruinas de Stonehenge e logo de seguida partiu, juntamente com Tom Prentice, em busca dos seus cavaleiros da Távola Redonda, que tinham reencarnado em pessoas daquele tempo. Guinevere é Joan Acton, uma comandante das forças unidas. Lancelot é o Magnata francês Jules Futrelle. Galahad é um samurai japonês, Gawain é um pai de família negro que vive na África do Sul, e Kay é um vigarista em Chicago. Destes coadjuvantes, um dos mais interessantes na minha opinião é Sir Percival, que logo após "lembrar" quem era, é transformado num neo-humano, um monstro geneticamente modificado. No entanto, apesar da sua nova condição, continua a ser leal ao rei Arthur. E o mais interessante de todos é Tristão, que reencarnou num corpo feminino e foi "acordado" por Tom Prentice no preciso momento em que se ia casar com um herói de guerra. O descontentamento por ter reencarnado num corpo feminino acaba por se tornar em desespero quando encontra a sua amada Isolda, que reencarnou num corpo também feminino. Esta não se importa com a nova condição de Tristão, enquanto que Tom Prentice desenvolve sentimentos em relação à "lady" Tristão. Mais tarde descobre-se que quem está por trás da invasão alienígena é nada mais nada menos do que Morgana le Fay, feiticeira rival de Merlin e meia-irmã de Arthur que tem como aliado Mordred, que reencarnou no director de segurança da ONU, Jonathan Matthew.

Esta história consegue englobar de forma inteligente praticamente todos os elementos da mitologia do Rei Arthur, desde Merlin, a excalibur a ser entregue pela dama do lado, para de seguida desaparecer e aparecer numa rocha no meio da assembleia das Nacões Unidas, fazendo com que Arthur reproduza a cena da retirada da espada, o romance proibido entre Guinevere e Lancelot e até a busca do Santo Graal.

Na minha opinião, é uma obra que qualquer coleccionador que preze tem que ter na prateleira. Um verdadeiro clássico.

3 comentários:

  1. Tou a ver que tenho de arranjar isso! Parece ser interessante, mas ostava de dar uma olhadela antes à arte, já que o argumento até é curioso.

    ResponderEliminar
  2. A arte é do Brian Bolland, que é excelente. Podes comprar sem medo ;-)

    ResponderEliminar
  3. Bem vindo dpmor,bom post.

    Abracos
    Grimlock

    ResponderEliminar